Menu fechado

Auguste Comte

Auguste Comte

Auguste Comte: Conhecido como o primeiro sociólogo, e por consequência disso o fundador da sociologia como ciência, Auguste Comte é uma das personalidades que mais influenciaram no modo de pensar e praticar ciência no meio atual. Auguste Comte foi o precursor da corrente positivista, que influiu na formação do lema que a bandeira nacional do Brasil carrega: Ordem e Progresso.

Como pessoa profissional o que não faltava para Auguste Comte eram opções de cargos, ele atuava nas seguintes áreas: sociológica, filosófica, econômica e historiadora. Além de se escritor.

Auguste Comte tinha como objetivo tentar amenizar o mal-estar social que havia se estabelecido em território francês após a ocorrência da revolução. Esse objetivo o tornou capaz de elaborar a doutrina positivista, ao longo do século XIX. Sua obra instigou outros grandes pensadores, como o Émile Durkheim, Karl Marx e Herbert Spencer, fazendo dele uma espécie de “influenciador” da época.

A biografia de Auguste Comte

A biografia de Auguste Comte se dá início no final do século XVIII, mais precisamente no décimo nono dia de janeiro do ano de 1798, na cidade de Montpellier, localizada ao sul da França e próxima ao mar mediterrâneo. Embora a biografia de Auguste Comte aponte que ele teve grande importância para as ciências sociais, a carreira acadêmica dele teve início na escola politécnica parisiense, graças ao apreço que tinha pela ciências naturais ele ingressou no instituto aos 16 anos de idade.

Segundo a biografia de Auguste Comte poucos anos depois ele tornaria-se secretário de Henri de Saint Simon, um conde que foi um dos pilares para a estruturação tanto do socialismo moderno como também do socialismo utópico. Foi neste período, de acordo com a biografia de Auguste Comte, que começaram a surgir as primeira ideias para a estruturação das suas correntes de pensamentos filosóficos que viriam a inspirar diversos pensadores.

A história de Auguste Comte

Porém, anos depois a parceria entre ambos chegaria ao fim. A história de Auguste Comte afirma que suas ideias entraram em detrimento quando se procurava entender a correlação que a ciência, como um todo, e a reestruturação da sociedade francesa possuíam. Segundo a história de Auguste Comte, ele acreditava que seu mentor dava prioridade à elite industrial ao invés da remodelação do conhecimento teórico.

Onde Auguste Comte nasceu?

O primeiro sociólogo teve como procedência a cidade de Montpellier, região sul francesa, que fica a aproximadamente dez quilômetros de distância do mar Mediterrâneo.

O que Auguste Comte defendia?

Os trabalhos de Auguste Comte deixam claro que ele defendia que a ciência era fundamental para a humanidade, e o conhecimento científico é a genuína e única forma de conhecimento.

Como Auguste Comte enxergava a sociedade?

Para Auguste Comte a sociedade são grupos de pessoas que podem estar em um dos três estágios do desenvolvimento seguintes: positivo, teológico ou metafísico.

Dando seguimento a história de Auguste Comte, o sociólogo passou por um colapso nervoso, que originou-se junto a problemas conjugais. O pai da sociologia foi casado durante dezessete anos com Caroline Massin, mas a união terminou em divórcio. Após o episódio de saúde conta a história de Auguste Comte que ele voltou se totalmente para suas pesquisas e elaboração do positivismo. Anos mais tarde suas críticas à estrutura universitária francesa o fariam perder seu cargo na escola politécnica e começou a ser bancado por pessoas que apreciavam seu trabalho. Ele continuou a publicar suas obras e pesquisas até que no ano de 1857 veio a óbito, acredita-se que por complicações com câncer.

Auguste Comte e o positivismo

Auguste Comte foi quem desenvolveu a doutrina positivista. Ele rompeu com a ideia de que tudo provinha de Deus, e passava a estudar as leis que rodeavam os fenômeno. A sociologia, que a princípio foi nomeada de física social, deveria adotar critérios mais robustos para alcançar a positividade. Esses critérios são a observação dos fenômenos, a reprodução deles, a comparação e finalmente poderia tirar as conclusões. Isso devia ser feito de forma sistemática com a finalidade de compreender a realidade da sociedade. Cada fenômeno tem sua particularidade, logo mesmo que os métodos tomados sejam análogos a conclusão poderá ser diferente e contribuirá para o entendimento da sociedade.

Quem foi Auguste Comte?

A pergunta quem foi Auguste Comte, assim como os fenômenos sociais, não possui uma única resposta. Certamente quando seu nome é citado a primeira coisa que se pensa é, o fundador da sociologia. Mas a questão quem foi Auguste Comte não pode se resumir a tão poucas palavras. A sua corrente pensamento positivista é tão importante nos dias atuais que o lema da bandeira nacional provém dela.

Retomando o questionamento quem foi Auguste Comte, é também comum pessoas o associarem as Leis dos três poderes, que divide a evolução intelectual da sociedade em três etapas distintas, mas fundamentais para a formação da sociedade. Além de sempre ser associado as suas obras, pois é difícil dissociar obra e autor. Então para poder concluir quem foi Auguste Comte, a sugestão é a leitura de sua obra a fim de concluir quem ele foi.

As obras de Auguste Comte

Ao citar as obras de Auguste Comte é indiscutível que a principal seja o seu “Curso de filosofia positiva”, este curso foi dividido em fascículos e foram editados e lançado ao longo de doze anos, durante os anos de 1830 até o ano de 1842. anos depois o curso seria rebatizado. Entre as obras de Auguste Comte também existem outras que merecem citação.

”Síntese subjetiva” e “Discurso sobre o espírito positivo” são duas entre as obras de Auguste Comte. Uma curiosidade da primeira é que ela inicialmente teria quatro tomos, porém apenas o primeiro foi lançado, a morte do autor inviabilizou a conclusão da obra, que só seria viável se o autor fosse Brás Cubas. “Sistema de política positiva” também está entre as obras de Auguste Comte e é constituída de quatro volumes no total.

Auguste Comte e a Religião da Humanidade

A evolução social e intelectual se desenvolveu por meio da “Religião da Humanidade”. Para o pai da sociologia existem divergências entre os termos teologia e religião. O primeiro faz referência a crença em entidades divinas, enquanto a segunda faz referência ao estado do indivíduo. A religião da Humanidade acaba por trazer junto a si a metafísica e a teologia (dois dos três estados das leis dos três estados). Ele reconhece a importância desses estados provisórios que precedem o estado positivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *