Menu fechado

Clarice Lispector

Clarice Lispector

Clarice Lispector: O Brasil, muito graças a sua diversidade, possui uma variedade muito rica de escritoras e escritores. E quando o tema é literatura introspectiva não é dúvidas que a maior estrela é Clarice Lispector. Sua vasta obra abrange diversos segmentos da literatura, desde o jornalismo até obras infanto juvenis. Mesmo sendo originária do leste europeu, Clarice Lispector se declarava brasileira abertamente, até porque não viveu tempo o suficiente lá para criar raízes com aquela cultura.

Certamente o fato de Clarice Lispector ser judía não altera em nada sua obra do ponto de vista literário. Mas no período conturbado em que viveu, o fato de descender de uma família judaica alterou o curso de sua história na Europa.

A literatura de Clarice Lispector não é nem de longe das mais simples, ela demanda um tempo para que possa ser digerida e compreendida, até mesmo por ser altamente introspectiva. Seus textos tem como tema pessoas comuns, em seus cotidianos, porém, orbitar as nuances da vida de qualquer pessoa nunca foi, e nunca será, uma tarefa fácil. Mas foi a proposta de tema que Clarice Lispector explorou em sua ampla produção literária.

A biografia de Clarice Lispector

A biografia de Clarice Lispector tem como gênesi cronológica o décimo dia do mês de Dezembro do ano de 1920. Sendo a ucraniana-brasileira oriunda a pequena cidade de Chechelnyk, território ucraniano. No início dos anos dois mil a cidade possuía quase cinco mil e seiscentos habitantes, menos que a maioria dos bairros do município de São Paulo. De acordo com a biografia de Clarice Lispector, é justamente nesse momento que o fato de ser de família judaica altera sua história.

Segundo a biografia de Clarice Lispector, pouco antes dela completar dois anos de idade, sua família migrou para o Brasil. O período histórico era o entre guerras. Mesmo sendo um período sem guerras oficialmente, algumas minorias eram perseguidas em decorrência delas. Uma dessas minorias era o povo judeu. As terras e posses de sua família foram tomadas. Para fugir do ambiente hostil, sua família optou por abandonar o continente. Conta a biografia de Clarice Lispector que ela saiu do país natal tão pequena que não conseguiu formar vínculo identitário ou afetivo com a Ucrânia, isso colaborou para que ela se identificasse como brasileira.

A história de Clarice Lispector

De acordo com a história de Clarice Lispector, ela e sua família desembarcaram em Maceió, Alagoas. Porém, rapidamente alocaram-se na cidade de Recife, Pernambuco, local onde ela encontrou seu vínculo identitário. Conforme a história de Clarice Lispector, a escritora sagitariana perdeu sua mãe, Marieta Krimgold L., ainda na infância, por volta dos oito anos de idade. Ela permaneceu com sua família no Nordeste brasileiro por todo a sua infância e a primeira parcela de sua adolescência.

Onde Clarice Lispector nasceu?

A complexa escritora nasceu na Ucrânia, porém se declarava brasileira, pernambucana por não possuir lembranças da terra da qual foi oriunda.

Onde Clarice Lispector viveu?

A sua vida quase inteira foi passada no Brasil. Sendo a infância e adolescência em Recife, e a vida adulta da cidade do Rio de Janeiro.

Onde Clarice Lispector morreu?

Ela veio a óbito um dia antes de seu aniversário, no ano de 1977, em decorrência de complicações com um câncer de ovário.

Segundo a história de Clarice Lispector, por volta dos quatorze anos de idade, ela mudou-se para a então capital brasileira, Rio de Janeiro, junto do seu pai Pedro Lispector e suas irmãs. Lá ela decidiu estudar direito, para tentar mudar suas condições de vida. Ingressou na Universidade Federal do Rio de Janeiro, mas ao longo do curso foi perdendo o interesse pela advocacia à medida que seu apreço pela literatura disparava. Ela continuou a estudar, até que em 1940 seu pai faleceu, e ela começou a oferecer os textos que produzia para jornais e revistas. E assim, acabou por ingressar na carreira jornalística, segundo a história de Clarice Lispector. Ela posteriormente casaria-se com Maury Gurgel, que teria uma carreira diplomática, que a permitiu viajar bastante. Com ele teve dois filhos, mas o casamento não teria final feliz pela falta de tempo do marido com a família. Seus textos ao longo desse período foram ficando famosos, e foi comparada e escritores europeus consagrados. Porém, essas comparações a incomodava.

A hora da estrela de Clarice Lispector

A hora da estrela foi o último livro escrito por Clarice Lispector. Ele possui um caráter autobiográfico, e apresenta um pouco da angústias de incertezas que havia dentro da autora. O livros está classificado como um romance psicológico, sendo que trabalhar densamente os aspectos psicológicos dos seus personagens é uma das mais marcantes características da escritora. O livro pertence à terceira e última fase do modernismo. Sua publicação ocorreu no mesmo ano de falecimento de sua grandiosa autora. Nele, é abordada a vida de uma jovem nordestina que ficou órfã e vai morar no Rio de Janeiro. Divide um quarto de pensão com três outras moças, e talvez seu único prazer era ouvir um rádio. A vida dela é cheia de frustrações, sendo que o livros termina com uma das mais clássicas ironias da literatura brasileira.

Os livros de Clarice Lispector

Quando citamos os livros de Clarice Lispector, não podemos não citar “Perto do coração Selvagem”, foi sua primeira obra publicada, no ano de 1943, e acabou por se tornar uma das mais famosas. O livro foi fortemente elogiado pela crítica, a ponto de alguns críticos suspeitarem de “Lispector” ser algum tipo de pseudônimo de algum escritor já consagrado. Muitas comparações com autores europeus foram feitas, afirmando que ela os usou de inspiração e eles haviam influenciado no modo dela desenvolver a história. Isso despertou a ira da escritora, que nunca havia nem sequer lido algum texto dos escritores a quem foi comparada. Os livros de Clarice Lispector eram todos genuínos, literatura brasileira.

A densidade psicológica é uma característica quase que intrínseca entre os livros de Clarice Lispector. No geral é uma literatura madura, mas ela também elaborou textos voltados para o público infantil. “O mistério do coelho pensante”, “Quase de verdade” e “A mulher que matou os peixes” são alguns exemplos entre os livros de Clarice Lispector voltados para este público. Nem só de romance foram suas obras, contos e crônicas eram alguns dos gêneros que ela também arriscava publicar.

Os poemas de Clarice Lispector

A função poética de um modo geral privilegia mais a estética que a mensagem, os poemas de Clarice Lispector privilegia ambos. Exemplo o poema “Não te amo mais”, Lendo-o de imediato ele pare expor o fim de um sentimento, que não há mais amor, que ela já esqueceu o que viveram, porém ao ler o poema de trás para frente, a mensagem é completamente oposta, é uma declaração de amor. Digno de ser um entre os poemas de Clarice Lispector.

Entre os poemas de Clarice Lispector os temas são bem variados, e ela não costuma seguir os moldes clássicos já consagrados como as redondilhas, maior e menor, os sonetos, os decassílabos ou os alexandrinos. Ela opta pelos livres, característica de muitos modernistas de primeira geração, e os tamanhos também não seguem um padrão definido. Entretanto os poemas de Clarice Lispector costumam sempre ter mensagens veiculadas.

A morte de Clarice Lispector

Infelizmente Clarice Lispector foi outra personalidade da literatura brasileira que partiu precocemente. No mesmo ano em que publicou sua última obra ela acabou por ser hospitalizada, em decorrência de complicações com um câncer de ovário. Sua morte ocorreu um dia antes de seu aniversário, em 1977, ela partiu com 56 anos de idade. E foi sepultada na cidade do Rio de Janeiro. Ela partiu cedo, mas deixou uma vasta obra, repleta de estilo próprio, genuíno para poder ser eternizada na literatura brasileira entre os melhores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *