Menu fechado

Émile Durkheim

Émile Durkheim

Émile Durkheim: Ele foi um dos mais importantes nomes para os estudos sociais. Além ter sido o primeiro professor de sociologia na França, Émile Durkheim é rotulado como um pilar que estrutura o modelo atual de sociologia. Não apenas contribuiu com obras que analisam o comportamento de instituições coercitivas, mas Émile Durkheim também desenvolveu um estudo a respeito do suicídio, que até então era considerada um escolha individual, passou a ser considerada como uma anomia.

Émile Durkheim para elaborar seus estudos bebe diretamente da fonte positivista estruturada por seu compatriota, Auguste Comte.

Muito mais do que contribuindo com publicações, Émile Durkheim dedicou-se para que a sociologia fosse aceita também como uma ciência. Seus esforços foram altamente frutíferos, a sociologia é uma das mais recentes ciências em curso na atualidade. A produção científico-literária de Émile Durkheim é tão relevante, que termos lançados pelo autor foram anexados como léxico característico do jargão sociológico.

A biografia de Émile Durkheim

A biografia de Émile Durkheim tem como o seu ponto inicial numa linha cronológica o décimo quinto dia do mês de abril do ano de 1858. O ariano tem como sua cidade natal o município de Épinal, localizado no nordeste francês, de acordo com a biografia de Émile Durkheim. Ele foi descendente de uma família com linhagem judaica, sendo que seus antepassados diretos por parte de pai foram todos rabinos nas três gerações precedentes a ele.

Segundo a biografia de Émile Durkheim, o fato de ser judeu e ter contato com os estudos desde muito jovem o motivaram a ter a religião como um dos principais focos de seus estudo. Consta em a biografia de Émile Durkheim que um de seus primeiros estudos ele tentava demonstrar que atitudes religiosas tinham mais cunho social que divino. O mais curioso é que ele conseguia manter um bom convívio com o ciclo judeu mesmo fazendo pesquisas que poderiam ir de encontro com alguns dos princípios religiosos.

A história de Émile Durkheim

A história de Émile Durkheim conta que como aluno ele foi extremamente prodígio. Conseguiu integrar o corpo discente da Escola Normal de ensino Superior de Paris ainda jovem, com 21 anos. E lá despertou o interesse por estudos científicos-sociais de imediato. Isso causaria alguns atritos com a grade francesa, que não trabalhava com ciências sociais naquela época. Isso o motivou a viajar para Alemanha em busca de aprofundar seus estudos, por lá passou por diversas cidades, incluindo Berlim. Segundo a história de Émile Durkheim.

Onde Émile Durkheim nasceu?

Ele foi oriundo do Nordeste francês, sua cidade natal, Épinal, compõe a região de Lorena, na França.

Onde Émile Durkheim estudou?

Suas principais formações acadêmicas são decorrentes de sua passagem pela École Normale Supérieure, na capital Paris.

O que Émile Durkheim defendia?

Ele defendia que as ações sociais não eram dependentes do pensamento individual de seus elementos constituintes.

Conta a história de Émile Durkheim que sua passagem no país bávaro rendeu muitos trabalhos, pesquisas e prestígio, esse último transcendeu as fronteiras alemãs. Ele foi convidado a assumir uma cadeira docente na universidade de Bordeaux, na França, dando início ao primeiro curso voltado para sociologia no país. Curiosamente, segundo a história de Émile Durkheim, ele assumiu o cargo de professor universitário no mesmo ano em que casou-se com L. Dreyfus, em 1987. O casamento gerou dois filhos para o casal.

O fato social de Émile Durkheim

Para o sociólogo Émile Durkheim, a expressão fato social representa um grupo de ações e/ou hábitos de qualquer indivíduo de uma sociedade, tal que esse hábito permitem que ele possa ser identificado como elemento de um grupo social. Dessa forma, o fato social molda um indivíduo para se encaixar numa sociedade, esses hábitos mesmo tendo caráter individual apontam uma consciência coletiva de um grupo, agindo assim sobre o indivíduo, podendo até determinar a maneira dele de pensar.

A teoria de Émile Durkheim

A teoria de Émile Durkheim vai além de considerar que uma sociedade é apenas um conjunto de indivíduos que convivem no mesmo local e período. Para ele, a sociedade pode ser considerado como um conjunto de idéias e sentimentos comuns a um grupo de indivíduos e são externados por esses através de ações. A teoria de Émile Durkheim levou o estudo de ciências sociais a outro patamar, inclusive seus trabalhos foram um marco para a sociologia como ciência individual.

A teoria de Émile Durkheim emprega alguns termos até então desconhecidos para a ciência. Expressões como fato social e anomia social foram revolucionários e em cursos de ensino médio do início do século XXI eles são apresentados como termos fundamentais para a compreensão da sociologia e das sociedades como um todo. A teoria de Émile Durkheim está concentrada em seus livros, que são frutos de suas pesquisas.

As obras de Émile Durkheim

Dentre as obras de Émile Durkheim, o livro “Da divisão do trabalho social”. O livro faz uma abordagem a respeito das relações sociais existentes no trabalho, o reflexo delas nos indivíduos. Entre as obras de Émile Durkheim essa pode ser colocada em paralelo com a de Karl Marx para que se possa fazer um comparativo entre a linha de pensamento desses sociólogos.

Outra importante entre as obras de Émile Durkheim é “O suicídio”. Esse livro foi o que desenvolveu o conceito de anomia. Neste texto o autor propõe que o ato de tirar a própria vida não é uma ação de caráter individual, mas sim um problema social. O livro é um destaque entre as obras de Émile Durkheim, tanto que foi usado de modelo para futuras monografias na área de ciências sociais.

O que é anomia social para Émile Durkheim

O termo anomia social, para Émile Durkheim, tinho como o principal objetivo identificar e descrever fenômenos patológicos de uma sociedade. De uma forma mais simples, toda sociedade possui regras e normas, a ausência ou até mesmo a ineficiência delas podem dar origem a esse fenômenos patológicos sociais. A banalização de tais fenômenos, a normalização deles dentro de uma sociedade é o que caracteriza uma anomia social. O maior exemplo de anomia deixado por Émile Durkheim foi o suicídio, que inclusive foi o tema de um dos livros do sociólogo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *