Menu fechado

René Descartes

René Descartes

René Descartes: Suas contribuições em diversas áreas como para a filosofia, ciências da natureza, como a física, e principalmente no campo da matemática foram extremamente relevantes. As ideias de René Descartes foram revolucionárias. Durante milhares de anos, os geômetras desenvolveram sua ciência com régua não graduada e compasso, elaborando seus teoremas e conjecturas, quase como se fossem uma arte. Porém, René Descartes propôs algumas modificações no plano euclidiano, inserindo eixos ordenados e metrificados, dando origem ao que hoje é conhecido como plano cartesiano.

René Descartes foi o autor do livros “O discurso do Método”, nele há um debate de como a ciência deve ser produzida e registrada. As propostas apresentadas no texto tem influência nos métodos científicos modernos.

Quando René Descartes deu origem ao plano cartesiano, formado por dois eixos ortogonais, orientados e graduados ele foi capaz de dar origem a um ramo matemático amplamente disseminado que é a geometria analítica. Ensinada, geralmente no ensino médio, e aprofundada nos cursos de graduação, ela possibilita uma visão algébrica dos fenômenos geométricos. Essa genialidade de René Descarte possibilitou que uma gama muito maior de matemáticos pudesse trabalhar com a geometria sem fazer necessariamente o uso das principais ferramentas clássicas de Euclides. Softwares de engenharia fazem uso massivo de geometria analítica, além dela ter suas contribuições para o cálculo, a física e diversas outras ciências, sendo que inúmeras delas não tem um caráter de ciências exatas como a matemática.

A biografia de René Descartes

A biografia de René Descartes tem seu início na comuna de La Haye, que hoje já não tem esse nome, mas permanece sendo território francês, relativamente próxima a capital Paris. A origem cronológica do filósofo foi o trigésimo primeiro dia do mês de Março do ano de 1596, bem próximo do início do século XVII, de acordo com a biografia de René Descartes. Ainda muito pequeno, ficou órfão de mãe, com aproximadamente um ano de idade.

Segundo a biografia de René Descartes, ele foi inserido em um colégio de administração jesuíta, na comuna de La Flèche, onde inicialmente fez um curso de duração de três anos no colégio, entretanto permaneceu na comuna por quase uma década aperfeiçoando seus estudos. Consta na biografia de René Descartes que o pensador não ficou satisfeito com os métodos de ensino que cursou, e fazia críticas abertas e eles, inclusive no seu mais famoso livro, “O discurso do método”, ele deixa sua posição clara. Sua indignação fez com que muitos na comuna tivessem inimizades com ele. E alguns educadores jesuítas abertamente não o reconheciam como filósofo, o classificando como deficiente no ofício.

A história de René Descartes

Segundo a história de René Descartes, após partir da comuna de La Flèche, ele optou por cursar direito, concluiu o bacharelado, todavia nunca chegou a exercer a profissão, pois acreditava que a carreira militar seria mais interessante para seus propósitos. A história de René Descartes conta que foi com esse pensamento que ele alistou-se no exército. Ele acreditava que filosofia e teologia não deveriam ser estudadas como uma única ciência, mas sim duas distintas.

Onde René Descartes nasceu?

O filósofo nasceu na comuna de La Haye, que pertence a França. Porém, sua carreira militar o proporcionou viver em diversos outros países, como Alemanha, Dinamarca, Holanda entre outros.

Onde René Descartes estudou?

Ele estudou no Real Colégio Henry-Le-Grand, de organização jesuíta. Além de ter uma passagem pela Universidade de Poitiers, onde estudou direito.

Onde René Descartes morreu?

Ele morreu na capital sueca, Estocolmo, onde lecionava para a princesa. Seu falecimento deu-se em decorrência de uma pneumonia, quando tinha 53 anos de idade. Seu enterro foi em território nórdico, porém, após sete anos ele foi exumado e remanejado para abadia de Sainte-Geneviève, na França.

De acordo com a história de René Descartes, ele sentiu-se acuado em publicar seus livros de física, chegando a não publicar alguns em defluência da condenação de Galileu Galilei por parte da inquisição, que queimou diversos cientistas. A história de René Descartes nos conta que ele teve uma filha, mas ela faleceu com cerca de cinco ano que idade, e isso foi um enorme choque para o matemático. Ela foi fruto de uma relação com uma de suas serviçais.

René Descartes e o racionalismo

O racionalismo é a corrente filosófica da qual René Descartes é considerado pai. Na época em que nasceu a produção científica era quase nula, e o clero era quem tinha o domínio sobre ela. A medida que cientistas e pensadores começaram a surgir, eles eram ameaçados pela santa inquisição. O racionalismo propunha que o conhecimento deveria ser extremamente rigoroso, suas estrutura deveriam ser sólidas para poder apoiar conclusão e a produção científica deveria ser registrada, com a finalidade de poder dar suporte a novos cientistas e pesquisadores para a ciência progredir, assim as novas gerações não precisam ficar o tempo todo retornando ao ponto inicial para poder tirar suas próprias conclusões, assim como o próprio René Descartes fez. A ciência poderia finalmente traçar um percurso progressivo e com conclusões sólidas.

Principais ideias do René Descartes

Entre as principais ideias do René Descartes já abordamos um pouco sobre o plano cartesiano e a geometria analítica. Entretanto, como ele atuou em diversas áreas, as principais ideias do René Descartes são bem diversificadas. Entre as suas ideias há uma contribuição para a medicina com suas conclusões de como funciona o sistema circulatório. Porém, esse nem de longe foi o campo de pesquisa em que foi mais bem sucedido, ele é sempre muito lembrado na filosofía, física e matemática.

Na obra “Princípios e Filosofia” as principais ideias do René Descartes tem um foco na física. Lá ele publica as leis do movimento, que serviria de base para um tal de Isaac Newton propor as três leis que regem a mecânica clássica. A partir das leis que visam explicar o movimento é possível concluir as fórmulas que quantidade de movimento que são ensinadas nos cursos de física de ensino médio. Mas certamente dentre as principais ideias do René Descartes a mais relevante seja sua discussão a respeito de estabelecer um método para praticar ciência. Embora ele tenha proposto isso no século XVII, em pleno século XXI a essência da construção científica permanece.

A vida de René Descartes

A vida de René Descartes foi extremamente voltada para os seus estudos. Embora ele tenha tido uma filha com falecimento precoce, o filósofo nunca casou-se. A vida de René Descartes também não foi fixa em sua terra natal. Já para seus primeiros estudos precisou mudar-se de comuna. Além de seu alistamento para o exército, que o fez rodar diversos países da europa, tendo contato com inúmeras culturas distintas entre si.

De um modo bem genérico, a vida de René Descartes pode ser resumida as suas obras. seus “Princípios de filosofía” que deram origem a diversas discussões no campo da física inspiraram Newton. “Geometria” de 1937, deu origem á um novo campo na matemática, a geometria analítica ou cartesiana. E “O discurso do método” que fez com que a ciência pudesse se estruturar de forma a gerar-la do jeito que a conhecemos hoje. A vida de René Descartes foi uma das mais importantes para o desenvolvimento da humanidade em diversos aspéctos.

As frases de René Descartes

Ao longo de sua vida, René Descartes certamente disse muitas frases. Todavia uma se destaca: “Se penso, logo existo”. Essa frase teve todo um contexto com o racionalismo e o método de fazer ciência. Para não se basear em nada precipitado ele não poderia aceitar nada como verdade. Até mesmo a matemática que é considerada a mais exata das ciências foi excluída pelo filósofo a fim de ser fiel ao método que propôs. Porém, nada ele poderia afirmar, pois o mundo a sua volta quase todo vinha de conclusões anteriores que ele não saberia dizer o quão sólidas eram. E a única certeza que ele tinha é de que ele estava pensando. E foi aí que seu método começou a ser colocado em prática. Pois para pensar ele necessitava existir, portanto concluiu que se ele pensava, ele existia. E começou a estruturar a ciência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *